top of page
Ana.jpg

ESCREVER COM A CÂMERA E COM IMAGENS
minicurso com Ana Karla Farias

Quartas-Feiras (06 Maio > 27  Maio), Das 19h às 21h BRT

Aulas online via zoom

ANA KARLA FARIAS é jornalista pela UERN, especialista em Comunicação, Semiótica e Linguagens Visuais (USCS), especialista em Produção de Documentários (UFRN), mestra pela UNICAMP, onde desenvolve pesquisa de doutorado. Publicou os livros A árvore dos frutos e outros contos e À deriva de mim (finalista do Prêmio Off Flip 2023).

Em quatro aulas, Ana Karla Farias apresenta uma abordagem reflexiva sobre o processo de criação mais experimental que contribui para a construção de subjetividades femininas em devir, presentes nas obras da cineasta ou cinescritora Agnès Varda e da literatura mais próxima da imagem de Clarice Lispector. Dos recursos de subjetivação como estratégia narrativa, passando pela abertura à alteridade, pela influência das águas profundas e pelo desmonte da solidez nas narrativas dessas mulheres oceânicas, o curso reflete sobre o modo como Varda e Lispector reinventam, cada uma a seu modo, narrativas que escapam de um formato tradicional de arte para inscrever suas subjetividades e experiências femininas nas obras, além de outras problemáticas atuais no cinema e na literatura.

 

A bibliografia será apresentada ao longo do curso.

As aulas do curso são gravadas e ficam disponíveis no YouTube. 

Formas de inscrição

Inscrições Abertas!

Inscrições até 04/05/2024

Inscrição meia-entrada: R$ 200

Meia-entrada para estudantes, PCD e pessoas acima de 65 anos. Envie o seu comprovante da universidade (se for estudante) ou de identidade (se for acima de 65 anos) para o email oastrolabiocontato@gmail.com e solicite o cupom de meia-entrada.

Utilize os cupons! 

ANA10 (10% de desconto)

ANA20 (20% de desconto)

PROGRAMA DAS AULAS

  1. O ensaio no cinema e na literatura e suas características estéticas
    As dimensões ensaísticas no cinema de Agnès Varda (As praias de Agnès) e a literatura mais experimental de Clarice Lispector (Água viva) 
     

  2. Escrever com a câmera (Agnés Varda) e com imagens (Clarice Lispector)
    A cinescrita e a câmera-caneta; os filmes-ensaios de Varda e os elementos de inscrição subjetiva de Clarice Lispector em Água viva: o monólogo interior, os paratextos, a confecção da obra a partir de seus próprios fragmentos 
     

  3. Lugar de mulher: a construção de uma subjetividade feminina  
    A casa como lugar de criação e experimentação do pensamento para Varda e Lispector; o ensaio como forma que escapa de formatos convencionais, possibilitando à mulher experimentar ou criar linguagens que elaboram a experiência, as dores e as potências femininas. 
     

  4. Estar à deriva em mar aberto 
    A poética das águas e sua consistência em fuga: representação da liberdade e do desmonte da ideia de proteção.

bottom of page